Site sobre Finanças Pessoais e Educação Financeira

  • +55 63 9233.3793 (Whatsapp)
  • contato@sabendoeconomizar.com.br

    Dicas sobre quitar dívidas

    Algumas sugestões para ajudar a Quitar suas Dívidas

    Controle Financiro 2Sempre que este tema vem a tona, poderemos observar que nem sempre o serve para um serve para o outro, cada um deverá procurar a melhor maneira que lhe convier. Mas se isso lhe consola, saiba que mais de 60% dos trabalhadores brasileiros estão endividados.

    O lado bom, é que você poderá sair deste “buraco sem fundo”, e a má notícia é que vai ser preciso esforço e muita disciplina.
    Caso esta seja a sua decisão, continue a leitura e deixe seu comentário no final!

    1: FAÇA O ORÇAMENTO FAMILIAR
    Como já dito em outras matérias, esse é o ponto de partida para qualquer tomada de decisão. Você já sabia disso mas agora, é para valer. Já havia colocado um post sobre este tema que poderá lhe ajuda, caso queria ter acesso ao mesmo, clik aqui e terá informações bem interessante de como iniciar este processo.

     

    2: AVALIE O TAMANHO DA DÍVIDA
    Algumas pessoas tem como pior presságio saber o tamanho da dívida, mas este é um dos passos para poder traçar uma estratégia eficiente, através do orçamento que terá.
    Faça uma lista detalhada com todas as dívidas, por menor que seja, separada por colunas, aonde você colocará o valor total, a taxa de juros o valor pago e o saldo devedor. Assim, poderá acompanhar a diminuição da dívida e ter motivação para continuar o processo.
    Caso seja necessário, nos contate para que possamos lhe ajudar ou procure os órgãos de proteção ao consumidor, como o Idec (Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor) ou o Procon.
    Pronto, por pior que seja o cenário, ele agora é conhecido e você tem um ponto de partida para quitar as dívidas.

     

    3: DIMINUA SEUS GASTOS
    Lembra da regra dos 50x30x20 (50% de sua renda para pagamento das despesas fixas, como aluguel, compras de supermercado, mensalidade escolar, etc; 30% para seu lazer, como cinema, restaurantes, etc e 20% para seus investimentos), pois é , olhe ela aqui outra vez.
    Não existe organização financeira sem algum sacrifício. Neste momento você deve diminuir o seu consumo e fazer a seguinte pergunta antes de comprar: Necessito realmente disso ?

     

    4: TRACE SUA ESTRATÉGIA

    Quando suas dívidas mensais são apenas levemente superiores à sua receita no período, é possível recuperar sua saúde financeira com o uso de disciplina, mas sem medidas extremamente severas. Situações críticas, entretanto, podem exigir um curso de ação mais drástico e imediato.
    Caso tenha uma dívida alta e não possua investimentos, considere vender outros ativos, como veículos ou imóveis de lazer. Essa é uma maneira drástica mas efetiva de reduzir o sangramento representado pelo pagamento de juros sobre juros aplicados sobre o total devido ou até mesmo de evitar a perda definitiva de algum bem.

     

    5: RENEGOCIAR PODE SER UMA BOA SAÍDA

    Contate os credores e os chame para renegociar. Isso não é nenhum pecado ou vergonha, pois você estará dando valor ao seu patrimônio. Mas aqui um alerta: Alguns Bancos, quando realizamos estra ação (como no meu caso no BB) nos colocam em uma lista de “dívida ativa interna”, o que acaba nos prejudicando nas análises de crédito futurar, mas mesmo assim, vale a pena.
    Ao negociar, avalie com atenção se o que está sendo proposto é justo - mais uma vez, peça ajuda a conhecidos ou órgãos de proteção ao consumidor. Se for justo, avalie se você poderá arcar com o que está sendo proposto e leia com atenção as cláusulas do contrato - de nada adianta uma excelente negociação caso não possa cumprir a sua parte do acordo

     

    6: TROQUE UMA DIVIDA POR OUTRA (DE JUROS MAIS BAIXOS)
    Para a maioria das pessoas endividadas, o cartão de crédito ou cheque especial aparece no topo da lista de valores, e que cobram as maiores taxas de juros do mercado.
    Caso tenha seguido a recomendação anterior e tentado renegociar sua dívida e não tenha tido sucesso, realize uma pesquisa das taxas de juros cobradas pelas várias instituições e obtenha um empréstimo pessoal com o banco que praticar as menores taxas. Ao comparar as taxas, não se esqueça de levar em consideração as tarifas envolvidas no processo, como a de abertura de crédito. Dessa forma, você estará trocando uma dívida de custo altíssimo como a do cartão de crédito ou cheque especial por outra de custo bem mais barato.

     

    7: CUIDADO COM SEUS MAIORES INIMIGOS: CHEQUE ESPECIAL E CARTÃO DE CRÉDITO
    Não seja daquelas pessoas que o Limite do Cartão de Crédito e do Cheque Especial fazem parte do seu orçamento. Caso este seja o seu caso, estará pagando uma taxa de juros de aproximadamente 170% ao ano.
    Pense no cartão de crédito como uma forma de comprar agora para pagar em até 30 dias algo cujo valor você poderia pagar integralmente neste momento sem abrir um buraco em suas finanças. Mas não se esqueça, no final do mês pague a fatura na sua totalidade.
    Caso já esteja com sua vida financeira organizada, poderá realizar comprar parceladas, mas não se esqueça que as parcelas serão cobradas nos meses subsequentes, ou seja, a dívida continuará.
    O cartão de crédito pode ser uma ferramenta muito útil. Algumas situações requerem cartão de crédito, como a reserva de hotéis, por exemplo. Além disso, pagar tudo com cartão de crédito permite centralizar o pagamento de seus gastos em datas específicas do mês, o que facilita seu planejamento financeiro. Isso sem falar na possibilidade de juntar milhas e trocá-las por viagens ou outros tipos de benefícios. Mas, considerando os riscos envolvidos, ele só deveria ser usado por quem entende que só deve gastar no cartão aquilo que pode pagar na data do vencimento da fatura.
    Você não faz parte desse grupo de pessoas? Cancelar seus cartões de crédito é uma saída para quando o saldo devedor começar a fugir ao controle. Algumas vezes e para muitas pessoas, a única saída.

     

    8:A REGRA DO 50 x 30% x 20%

    lembra dos 20% que devemos poupar? Pois ele é essencial para as emergências que teremos em nossas vidas.
    Comece a realizar esta poupança para formar um fundo de emergência/investimentos. Use suas receitas extras, como o 13º. Salário ou a devolução do Imposto de Renda, por exemplo, como estratégia de recursos que poderá poupar.
    O fundo de emergência serve para cobrir despesas emergenciais.
    Invista parte de todo aumento de salário, antes que se acostume com o novo padrão financeiro.

     

    Comemoração9: COMEMORE!

    Aprenda a comemorar toda vez que quitar uma dívida. Temos que comemorar sempre que vencemos uma batalha. Retomar o controle de sua vida financeira pode ser um desafio, mas nada se compara à sensação de ver o extrato bancário passar do vermelho para o azul e saber que você se tornou uma pessoa capaz - pelo menos no que se refere a dinheiro - de fazer escolhas mais sensatas no futuro.

     

    O que achou das dicas? Deixe seu comentário abaixo, ele é muito importante! Curta a página e compartilhe com seus amigos!

    Lido 904 vezes

    Também estamos no Facebook

    Fale conosco

    Email 
    Assunto 
    Dúvida